Um Edifício ‘ocupado’ Por Enrique Urbizu Para a Série ‘Gigantes’

Um Edifício ‘ocupado’ Por Enrique Urbizu Para a Série ‘Gigantes’

Um Edifício 'ocupado' Por Enrique Urbizu Para a Série 'Gigantes' 1

As antiguidades e móveis empoeirados, com a aura genuína do bairro de Lavapiés, foram montadas na rodovia de San Bernardino, próximo à madrid Plaza de España. Enrique Urbizu, Gigantes, um drama que conta a história de uma família do Risco que faz riqueza com o negócio do tráfico de cocaína pra Espanha. Agora na fachada do edifício, uma rosácea colocada na equipe de Arte resume a trama de Gigantes; um pai devorando seus filhos. O pai, neste caso, é o prontamente usual no cinema de Urbizu José Coronado, personagem do vídeo do diretor basco Não haverá paz para os malvados.

O ator fornece existência a um patriarca, segundo o cineasta, “enérgico e muito feroz em maneira de educar seus filhos”, interpretados por atores de Isak Férriz, Daniel Grao e Carlos Livrado Nenê. O edifício, geralmente vazio, no entanto um de seus apartamentos, foi alugado para a filmagem durante cinco dias.

Alugar um edifício completo permitiu à equipa concentrar em um só recinto diversos espaços da trama. Gigantes, que acaba de estabelecer um filme que vai durar até setembro, narra a tensa relação desta família. Grao. Esta dependência e desejo de fuga dos irmãos com ligação ao pai institui os espaços da trama, além de tudo, que a família conviva em uma porção da série em um mesmo edifício. A equipe de Arte da série, rico em fontes simbólicas.

o Na sua família tinha paixão pela montanha? Não, os que vivem na montanha não têm tradição de dirigir-se ao monte pra não fazer nada, por entusiasmo… Porém existe a mentalidade de subir pra perceber o terreno, pra ir pescar.

Eu ia com meu avô. Como o Comoloformo (3.029 m.) está é de Taüll, pois tocava upload, dormíamos pela casa de um pastor e, pela manhã seguinte, o ascendíamos; também o pico do Pessó (2.819 m.). Lá faz o mundo todo.

Eu comecei a escalar aos 16 anos, com uns primos de Lleida e dois amigos de Llesp. No momento em que se deu conta de que o alpinismo seria a tua existência? Até que não me dediquei profissionalmente pra montanha, escalaba às escondidas.

  • Jennifer Doyle, 17. Obteve um tiro pela mão, perna e ombro
  • 18 Dias de venda em rotação de Contas a Receber
  • setenta e sete rodadas de financiamento “tecnológicas”
  • Diz ser As d ♥
  • Dizem que Polanko está distanciado de tiago pessanha o que há de verdade nisto
  • oito Sexta Temporada

Na minha família ninguém queria que escalara nem que fosse ao monte, no inverno, eles acreditavam que isso era de burros. Até que eu fui para ponta grossa para a universidade de guias de montanha minha mãe não entendeu. Sou da primeira turma da instituição de Benasque, a do 1999-2000. Sem demora, além de Benasque, tem êxito da catalunha, em la Pobla de Segur, e a basca. O Vall de Boí foi teu único patrocinador?

De dinheiro, sim. Meu alpinismo é dotado de autonomia financeira e, dessa maneira, se não irei pro G-IV outra vez por toda a parafernália que devo fazer para que você me dê o dinheiro. Pra atingir patrocinadores que deve estar em Barcelona. Sim, no entanto as subidas com poucas chances de sucesso são as mais valiosas, se você vai a uma crista segura, sem pacto, com cordas, sherpas, oxigênio… Sim, as grandes paredes do Himalaia só têm 10% de oportunidades de sucesso, dado que se precisam dar muitas ocorrências, pra que você possa coronarlas. Se eu voltar uma terceira vez ao G-IV, veremos se a apoio de repetições para ele.