Palácio Do Congresso Da Nação Argentina

Palácio Do Congresso Da Nação Argentina

Palácio Do Congresso Da Nação Argentina 1

Ao longo do período denominado como a Organização Nacional, ao unificar a começar por 1862, da República Argentina, com capital em Buenos Aires, o presidente Bartolomeu Mitre encomendou ao arquiteto Jonas Larguía, a obra da sede do Congresso Nacional. O primeiro edifício foi inaugurado em 1864 e se encontrava no canto sudoeste das ruas Vitória (hoje Hipólito Yrigoyen) e a Defesa, em diagonal à Casa de Governo. Com a construção do edifício do Banco Hipotecário Nacional (hoje sede da AFIP), foi parcialmente demolido, porém conservou tua sala de sessões, que atualmente é possível visitar.

Já em 1882, pensou-se na construção de um novo edifício para o Congresso, do tamanho adequado pra acomodar os representantes. Em 1887 foi destinada pra este fim a maçã delimitada pelas ruas Callao, Riobamba, Paraguai e Lagoas (hoje Marcelo T. de Alvear). Rapidamente o terreno pela via Paraguai foi coberto, e se adquiriu o da Avenida Rivadavia, popular antigamente como o Oco das Oliveiras, e, nesta data, nas mãos dos irmãos Spinetto, que tinham ali um corralón.

em um de dezembro de 1889, cederam a tua propriedade. No dia vinte de fevereiro do ano seguinte, decretou o chamado para a Competição Internacional, e se fixou em 12 de outubro de 1895 como data pra exibição dos projetos. Foram anunciados 28 projectos, entre os quais figuravam os franceses Lefebre, Tronchet e Rei, Paul Henry Nenot; os italianos Sommaruga, Meano e Calderini; o austríaco M. A.

Turner; o uruguaio Vaeza Ocampo, juntamente com Alfred Massue; os argentinos Avenatti, Emilio Agrelo, César González Segura (parceria com Emilio Mitre e o francês Gustavo Duparc) e Bernardo Meyer Pellegrini; e o norueguês Alejandro Christophersen. O 8 de janeiro de 1896 a obra foi adjudicada ao engenheiro italiano Vittorio Meano, sendo aprovado em trinta e um de julho daquele ano, o contrato de direcção de obras.

realizou-Se um concurso em 31 de julho de 1897, e a obra foi adjudicada à empresa construtora Paulo Besana e Cia. A obra foi iniciada em agosto de 1897, e até a sua inauguração foram contratados mil operários. Para meados do ano de 1900, a revista Caras e Máscaras informou que a obra neste momento havia consumido “em torno de quatro milhões e meio de pesos”, tendo-se consumido quase todo o orçamento original quando a obra somente havia começado.

em 1 de julho de 1904 Meano foi assassinado em sua moradia, pelo que a conclusão da obra ficou a cargo do arquiteto belga Julho Dormal, que respeitou o projeto original. O Palácio foi inaugurado em doze de maio de 1906 para a abertura do 45º Período Legislativo, iniciado pelo desta maneira Presidente José Figueroa Alcorta.

não obstante, as obras distaban muito de ter concluído, continuando nos anos seguintes, os trabalhos de instalações sanitárias, decoração e revestimentos em pedra. Isso não escapou aos partidos opositores ao regime conservador, como os socialistas e radicais, que iniciaram uma comissão pra investigação de sobreprecios. O escândalo público que gerou o debate e as acusações, trouxe como decorrência a remoção de dois conjuntos de estátuas que decoravam a entrada pro Palácio do Congresso. Desenhados na escultora Lola Mora, elaboraravam além disso, o desgosto das pessoas mais conservadoras pelos seus nus reveladores. A iluminação da cúpula colocou pouco tempo atrás em 1930. As obras foram totalmente finalizadas pouco tempo atrás, em 1946, com o revestimento em pedra de rotatória pela via Combate dos Poços.

  • Queimados pro bonzo
  • 2 Avaliação de corporações
  • Ministra de Assuntos Exteriores e de Cooperação: Trinidad Jimenez
  • Analisar as unidades de decisão

Os portenhos tomaram o hábito de falar, quando um edifício estava levando muito tempo pra ser formada, que tardava como o do Congresso. Ao longo da incerteza de 2001, as grandes manifestações sociais tornaram-se cotidianas, em frente ao edifício, e um cercado policial metálico ficou fixo no perímetro do Congresso no decorrer dos anos seguintes, prevendo ataques das manifestações ao palácio. Em 2009, o Governo da Cidade de Buenos Aires substituiu esse cercado por uma grade artística que adiciona as iniciais da instituição e de uma placa de bronze com o Preâmbulo da Constituição.

Um leque de organizações de destaque e especialistas privados estão levando a termo a estas tarefas. Destaca-Se as tarefas realizadas pela valorização dos Grupos escultóricos em bronze nas cobertas do Congresso Nacional, realizadas pelo restaurador Sergio presença regular na tv.