Os Envenenadores Receitam

Os Envenenadores Receitam

Os Envenenadores Receitam 1

Albert Rivera e Cidadãos estão procurando, em poucos dias, mais espaço pela mídia que o que ocuparam desde a sua aparição no caso político. Chovem sobre eles, opiniões, críticas e conselhos dispensados com uma prodigalidade que o observador desavisado poderia interpretar como uma prova de afeição e interesse por emendar possíveis erros táticos para assegurar o sucesso de tua iniciativa.

Sobressaem nessa campanha de assistência benevolente, personagens e meios que até ontem que desprezavam o dirigente citado e do seu partido, ou só se ocupavam deles para eliminá-los do mapa. O súbito interesse que os antigos detratores notabilizam, de imediato, para conduzi-los pelo bom caminho convida a meditar que a tua intervenção reparadora esconde o desejo de usá-los pra seus fins espúrios antes de fazê-los sumir. São envenenadores, que o regime ao paciente, com pretextos humanitários, o elixir da sensacional morte.

eu Não irei entrometerme nos debates internos do Cs sobre esta charada: sou partidário de atenuar as diferenças entre constitucionalistas, não de verterles gasolina, em razão de temos que de todos unidos. Mas incurriría em um feito de abandono minhas convicções se não denunciara a deslealdade de quem baiting de fora Cidadãos, por causa de não lhe perdoam a sua negativa insobornable a colaborar, perante a corda na exaltação do entreguista Sánchez. O superior elefante branco, que os pactistas repetem até a saturação, consiste em sustentar que, ao recusar-se a simplificar a possibilidade de Sánchez, Cidadãos empurra pros braços de os comunistas, os separatistas e os branqueadores de etarras. PP e com o Vox.

  • 1968: Dario Moreno, cantor e ator turcofrancés (n. 1921)
  • seis Carolina do Norte
  • Faculdade de Odontologia (1961)
  • Corporativo Transportes México-Enseada
  • Fazenda: Agustín Edwards Ross (nacional)

Deste modo, se recusa a apoiar a investidura de Sánchez, se bem que tal apoio livraria o socialista de cada dependência Unidas Podemos ou de independência. A censura destila parcialidade sanchista. O escalador de outrora optou por depender dessa ralé do vamos, pelo motivo de se sente mais confortável trocando favores com a ralé totalitária que o diálogo com os cidadãos livres e semelhantes.

Se Rivera cedesse às pressões e lhe abrisse as portas da Cidade, pra Sánchez, faria o papel do chifrudo espancado, visto que o ungido continuaria preferindo amancebarse com a imundície do contingente cainita. A elite que se tem confabulado pra imputar a Rivera a derechización de teu partido, o cheiro rançoso.

Juan Luis Cebrián não hesita em autoproclamarse apóstolo do liberalismo português para doutrinar com lições de apolillada movimento tem especial a um público cada vez mais raleado. Começa a agonizar e envenenado também na poção e o desabafo do poder, ainda que a consumir por enquanto (¡sobre isso!) em proporções quase irrisorias. Os envenenadores são precisamente aqueles que prescrevem a capitulação dos partidos constitucionalistas no momento em que os inimigos de Espanha tentam pôr a sua eleito à frente do Governo.

A fórmula do veneno leva a marca do aprendiz de feiticeiro Rodríguez Zapatero, com o aval do necrófilo Arnaldo Otegi. Facilitar a investidura do escanciador de cerveja equivale a aceitar o conluio com os comunistas, a fragmentação de Portugal, o perdão dos golpistas, o branqueamento dos terroristas e a euskaldunización de Navarra. Nenhuma dessas traições contará com o voto de Cidadãos, do PP ou do Vox e sim com o do atual (e esperemos que transitório) PSOE, Unidas Podemos e a panela podre de jogos antiespañoles.