“Não Vá A Las Vegas”

“Não Vá A Las Vegas”

"Não Vá A Las Vegas" 1

“Espera o incrível. Prepare-se pro pior”. Esta frase preside o livro de cinquenta e seis páginas que o sindicato de jogadores da NBA entregou a seus participantes no passado mês de fevereiro. Nele alertando sobre a expectativa de que houvesse um bloqueio e davam-se conselhos para defrontar a hipotética ocorrência de crise da melhor maneira possível.

Um manual de sobrevivência que, uma vez que o “bloqueio” tornou-se realidade precisa guiar os passos dos jogadores. A mensagem é muito descomplicado. Agora que as franquias irão deixar de pagar as ricaças folha de pagamento aos seus jogadores, é hora de evitar caprichos. Esse Bentley pode aguardar. A incerteza que rodeia o lock —out-ainda é desconhecido até no momento em que vai durar— obriga os jogadores a fazer um exercício de sobrevivência para evitar derroches supérfluos e não ser chamados a uma situação económica complicada.

Em outro n.o aconselha-se impossibilitar viagens para destinos como Las Vegas ou Atlantic City, duas das cidades do jogo por excelência”, onde o desperdício é geralmente a nota convencional. Embora o livro chegou às mãos de todos os jogadores, não todos farão o caso dos conselhos.

Enquanto se pesquisa um acordo entre proprietários e jogadores, os clubes europeus neste instante estão esfregando as mãos com a perspectiva de que alguma das estrelas da NBA possa vir a jogar do outro lado do Atlântico. A escolha, semelhante foi apontado Pau Gasol, existe, todavia é muito complicada.

  1. Duração: 5 semanas
  2. Aconteceu na rua (1953)
  3. 3 Anexação de Navarra
  4. um Gustavo Sánchez
  5. 22 de novembro: Angela Merkel é eleita a primeira mulher chanceler da Alemanha
  6. 7-Discriminação de segunda ordem
  7. 349 Pé de foto
  8. Fazenda Retiro (atual sede do INJUDE)

Para ela, uma língua morta não é só aquela que não se fala ou não se escreve mais, todavia a obstinada língua, que se contenta com a simpatia de tua própria paralisia. Como uma língua estática, censurada e julgamento. Implacável na sua atividade policial, não tem desejos nem ao menos outro meta de preservar o campo aberto de teu respectivo narcisismo narcótico, por tua exclusividade e domínio.

Imune às dúvidas, não poderá fazer ou tolerar novas ideias, construir novos pensamentos, mencionar outra história, completar os intrigantes silêncios. Uma língua oficial, fragmentada para punir a ignorância e conservar os privilégios, é uma armadura polida, para oferecer brilho, uma casca que o cavaleiro escapou tempo atrás. E, no entanto, aí está: bobo, predatória, sentimental. Excitando a reverência nas escolas, dando proteção aos déspotas, reunindo falsas lembranças de firmeza e de harmonia entre as pessoas. Mas de que tipo?

Talvez obter o Paraíso fosse uma coisa prematura, e um pouco apressada, se ninguém se podia tomar o serviço de compreender novas línguas, outros olhares, outros períodos narrativos. Se dessa forma tivesse sido, é possível que esse paraíso o tivessem encontrado a seus pés. Complicado, demandante, sim, contudo seria uma visão do paraíso como a existência, e não como existência do além.