Buenos Aires Econômico

Buenos Aires Econômico

Buenos Aires Econômico 1

Buenos Aires Econômico (BAE) é um jornal argentino de economia e negócios fundado em 1997. No decorrer do ano de 2002 e 2007, recebeu o nome de Barreto Diário e era de dica geral. É posse do Grupo Crônica, que edita o jornal do mesmo nome.

O jornal BAE foi fundado em 1998 pelo consultor de imagem e intercomunicação Armando Torres. Tua idéia era competir com outros diários, como O Cronista ou Domínio Financeiro. As baixas vendas, o jornalista Daniel Hadad e Sergio Szpolski compraram o jornal no final de 2001. Um ano mais tarde, Szpolski cedeu suas ações no matutino a Hadade.

Desde deste modo, o jornal mudou teu nome pra pedro bandeira Jornal e tornou-se de interesse geral. Esses empreendimentos foram a apoio do Grupo Barreto. O website era muito visitado, entretanto o jornal impresso continuava vendendo insuficiente. Dessa maneira, em 2007, Hadade decidiu manter só a versão digital, pôs à venda o jornal impresso e lhe restaurou o nome BAE.

  1. Dois Década de 1930
  2. 3 Crioulos e brancos
  3. Reciclagem CR
  4. Cortar o risco.- Remover o ágil relacionado e com isso se reduz o risco
  5. 2007 – 2008: Insomniac World Tour
  6. Cor e o cliente (consumidor)
  7. Melhores relações com o Governo
  8. Ausência de controles para a liberdade de associação e contratos

Em abril do mesmo ano, O empresário Sergio Szpolski comprou o matutino e o integrou à sua multimídia. Em 4 de novembro de 2010, Spolski vendeu o jornal pra corporação de Raul Olmos, que também possui o jornal Crónica.

Olmos também é gerenciador da organização Forjar Saúde, obra social do sindicato Combinação Operária Metalúrgica (UOM). Após ser comercializado para o Grupo Olmos, o jornal adotou como lema “Rumo a um Capitalismo Nacional”. “Daniel Hadad transferiu BAE Sergio Szpolski”. “Conluio Midiático. Ainda não anda bem”. Christian Sanz (13 de fevereiro de 2007). “Operam contra Fontevecchia”.

Carretel: contém um cabo de enorme comprimento, que permite ao mergulhador guiar-se em percursos complexos. Bússola: pra conduzir-se ante a água. Cyalume ou claridade química: se prendem a garrafa ou o colete durante mergulhos noturnos, para descomplicar a localização pro resto de mergulhadores.

Quadro subaquática: permite a comunicação escrita ou gráfica ante a água com os colegas. Chocalho, maraca ou buzina: permitem avisar por intermédio de sinais acústicos pra um mergulhador próximo. Bóia inflável: um pequeno balão cilíndrico com um cabo, que pode inflar com ar comprimido do frasco para marcar uma localização pela superfície, ou, excepcionalmente, serve como auxílio pra puxar objetos pesados da água. Não obstante, esta última prática é altamente aconselhável, que os cabos não são projetados para suportar pesos, e a ruptura dos mesmos poderá causar acidentes graves. Os 3 pilares da física do mergulho são o princípio de Arquimedes, a pressão e as leis dos gases.